Margem de valor agregado: qual a importância e como calcular

Em um cenário empresarial cada vez mais competitivo, a importância da margem de valor agregado se destaca como um dos pilares da gestão financeira e fiscal eficiente. O domínio sobre essa métrica é decisivo para as empresas que buscam otimizar seu planejamento tributário e solidificar a precificação de seus produtos e serviços, garantindo uma posição mais favorável no mercado. Para entender como ela pode ajudar no crescimento do negócio, continue a leitura! 

O que é a Margem de Valor Agregado?

A margem de valor agregado (MVA) desempenha um papel fundamental na análise de custos de empresas ao redor do mundo. Trata-se de uma métrica que captura a diferença entre o preço de venda e o custo dos insumos que foram utilizados na criação de um produto ou no fornecimento de um serviço. 

Essa diferença, positiva por definição, reflete o valor que a empresa conseguiu adicionar ao bem ou serviço, desde o momento de sua concepção enquanto matéria-prima ou ideia inicial até sua apresentação final ao consumidor.

Na prática, entendemos que a MVA é um indicador da eficiência produtiva e da aptidão de uma empresa para gerar lucro. Mas sua importância ultrapassa a esfera operacional. No contexto tributário brasileiro, particularmente naquelas operações sujeitas à substituição tributária, a MVA assume um caráter decisivo, pois sobre ela se calcula a coleta antecipada de impostos como o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). 

Por isso, o conhecimento e aplicação adequada dessa margem são essenciais para a conformidade fiscal e para um planejamento financeiro eficaz em uma organização. 

Qual a importância da Margem de Valor Agregado?

A Margem de Valor Agregado permite que as empresas tenham domínio sobre os seus números, garantindo que as práticas de precificação dos produtos ou serviços sejam coerentes com o valor intrínseco oferecido ao consumidor final. 

Ao analisá-la, as organizações conseguem perceber a eficácia da adição de valor ao longo do processo produtivo, o que é decisivo para uma estratégia comercial assertiva.

Além disso, um dos grandes desafios do ambiente corporativo é uma administração tributária adequada, e aqui, novamente, a métrica mostra seu valor. Uma MVA bem calculada é uma aliada na hora de estabelecer a carga tributária que deve incidir sobre as operações, assegurando que a empresa cumpra com suas obrigações fiscais sem incorrer em pagamento a menor que possa gerar penalidades ou a mais, o que representaria um gasto desnecessário. 

Por isso, a MVA é uma métrica estratégica que, quando calculada e analisada corretamente, influencia decisivamente na competitividade de mercado e na rentabilidade empresarial. 

É a partir dela que se pode ajustar a prática de preços, alinhar expectativas de lucro e, mais do que isso, assegurar a conformidade fiscal, o que torna a sua gestão um pilar na estrutura de qualquer empresa que busque o sucesso e a longevidade no mercado.

Isso significa que ela desempenha um papel crítico na sustentabilidade financeira, evitando riscos fiscais que podem comprometer a saúde econômica do negócio.

Quais empresas estão inseridas na MVA?

A Margem de Valor Agregado (MVA) é aplicada em organizações enquadradas no regime de Substituição Tributária. De modo geral, elas dizem respeito a indústrias, fabricantes e importadoras, mas isso varia de acordo com a aplicação do regime tributário.

É vital verificar a regulamentação estadual, pois, em certos casos, distribuidores e outros agentes econômicos também estão incluídos pelo Fisco no quadro obrigatório de pagamento.

Por isso, essas empresas devem manter uma vigilância constante nos cálculos, pois erros na aplicação do ICMS – ST podem resultar em problemas fiscais substanciais.

Qual a diferença entre IVA E MVA?

Ao abordar os temas de gestão financeira e fiscal, é importante destacar a diferença entre IVA e MVA, dois conceitos fundamentais que, apesar de relacionados, possuem finalidades distintas. 

O IVA, ou Índice de Valor Agregado, trata-se de um método de tributação adotado internacionalmente que incide sobre o valor adicionado ao produto ou serviço a cada etapa do seu processo de produção e distribuição. Essa abordagem é amplamente reconhecida por promover a equidade tributária ao taxar apenas o valor efetivamente adicionado em cada fase.

Por outro lado, a MVA, ou Margem de Valor Agregado, é um parâmetro utilizado especificamente no contexto brasileiro, sobretudo quando se trata de operações sujeitas ao regime de substituição tributária do ICMS. 

Compreendendo essa diferença, é possível exercer uma gestão tributária efetiva e garantir que os cálculos dos tributos sejam realizados da maneira correta. 

Como calcular margem de Valor Agregado?

Para realizar o cálculo, é necessário identificar o percentual de MVA estipulado pelo estado, o qual varia de acordo com a categoria do produto. 

Com esse percentual em mãos, utiliza-se a seguinte fórmula para obter a MVA ajustada, considerando as diferenças entre as alíquotas interna e interestadual de ICMS: 

MVA ajustada = [(1 + MVA original) x (1 – alíquota interna) / (1 – alíquota interestadual)] – 1

Esse processo não apenas concilia as obrigações fiscais mas também proporciona uma base mais precisa para a formação de preços de venda. Assim, é possível alinhar as empresas às práticas de mercado e garantir uma tributação justa e precisa.

Vantagens de contar com um ERP para a gestão financeira e fiscal da empresa

A gestão financeira e fiscal de uma empresa requer atenção a detalhes, especialmente quando o assunto envolve o cálculo da MVA. Nesse cenário, um ERP completo como o da ERPFlex surge como um aliado estratégico, simplificando e otimizando esse processo. Conheça seus principais benefícios:

Modernização do setor financeiro

Esses sistemas oferecem ferramentas avançadas para lidar com todas as operações financeiras da empresa, desde a emissão de faturas até o controle de despesas. 

Com um ERP, é possível automatizar tarefas rotineiras, como reconciliação bancária e geração de relatórios financeiros, aumentando significativamente a eficiência do departamento financeiro. 

Além disso, sua interface intuitiva e amigável facilita o acesso e a compreensão dessas informações, tornando o processo de tomada de decisão mais ágil e preciso.

Automatização do fluxo de caixa

A automatização do fluxo de caixa é outra vantagem importante proporcionada pelo ERP. Com essa funcionalidade, é possível monitorar em tempo real todas as transações financeiras da empresa, o que possibilita uma visão abrangente e atualizada de sua posição financeira.

Assim, é possível facilitar o planejamento financeiro e a identificação de oportunidades de economia e investimento. Além disso, a automatização do fluxo de caixa reduz significativamente o risco de erros humanos e fraudes, garantindo maior precisão e segurança nas operações.

Segurança no acesso a informações

A segurança das informações é uma preocupação fundamental para todas as empresas, especialmente quando se trata de dados financeiros e fiscais sensíveis. Um ERP oferece recursos avançados de segurança, como criptografia de dados, controle de acesso e monitoramento de atividades, garantindo a integridade e a confidencialidade das informações. 

Além disso, os sistemas ERP são atualizados regularmente para garantir a conformidade com os mais recentes padrões de segurança cibernética, protegendo a empresa contra ameaças emergentes, como ataques de hackers e malwares.

Integração com outros setores

O ERP permite centralizar todas as operações empresariais em uma única plataforma, eliminando a necessidade de sistemas e processos isolados em diferentes departamentos. 

Isso facilita a comunicação e a colaboração entre os diferentes setores da empresa, melhorando a eficiência operacional e a qualidade do serviço ao cliente.

Mais do que isso: essa integração traz uma visão mais ampla do desempenho da organização, facilitando a identificação de áreas de melhoria e oportunidades de crescimento.

Redução de erros

Erros comuns no cálculo do MVA podem trazer prejuízos significativos para as empresas. A forma mais frequente é a utilização de alíquotas desatualizadas, que ocorre devido às periódicas alterações das legislações tributárias. 

Erros de arredondamento, por mais simples que pareçam, também podem gerar diferenças relevantes no montante final do tributo. Uma precisão matemática no processo de cálculo é essencial. 

Para minimizar esses riscos, o uso do ERP automatiza esse cálculo com dados fiscais atualizados, reduzindo a margem para falhas humanas e otimizando todo o processo de gestão fiscal.

O ERPFlex

O ERPFLex é o sistema de gestão online mais completo para uma organização. Com ele, empresas de diferentes setores, como o industrial, comercial ou de serviços, podem potencializar o gerenciamento financeiro e diversas áreas do negócio, como estoque e resultados.

Se você quiser garantir um ERP intuitivo, seguro, eficaz e com indicadores personalizados para o seu negócio, converse conosco

E se você gostou de entender mais sobre a Margem de Valor Agregado e deseja conhecer outros tópicos essenciais para o desempenho da sua empresa, não deixe de acessar o nosso blog

Hardening: o que é e qual sua importância para a empresa

Em um contexto marcado por ameaças digitais crescentes, a segurança cibernética tornou-se um tema de vital importância para qualquer organização. As ações para proteger dados empresariais devem ir além de medidas básicas, e nesse sentido, o processo de hardening se destaca como um componente essencial. 

A implementação deste método reflete um compromisso sério com a manutenção da integridade, disponibilidade e confidencialidade dos ativos digitais, sendo um passo crucial para a continuidade dos negócios e o cumprimento de regulamentações de proteção de dados relevantes. Continue a leitura para entender mais sobre o hardening! 

O que é o processo de Hardening?

Hardening, ou endurecimento em português, diz respeito a uma série de estratégias e práticas utilizadas para fortalecer sistemas e redes, formando uma barreira mais sólida contra o avanço de ataques cibernéticos e garantindo a segurança da informação empresarial. 

Para garantir esse objetivo, é preciso identificar e bloquear vulnerabilidades que podem expor organizações a riscos digitais.

Implementar o hardening envolve um conjunto de ações detalhadas, que incluem a atualização contínua de softwares para garantir que todas as funcionalidades estejam de acordo com as últimas soluções de segurança disponíveis.

Ele, então, não é apenas uma tática preventiva, mas uma necessidade operacional que permite às empresas manterem-se resilientes diante das ameaças digitais, mantendo a sua reputação e a confiança de seus clientes e parceiros.

Como ele funciona?

Seu funcionamento é baseado em uma premissa de que, quanto maior a superfície de ataque,  maior a probabilidade de um ciberataque bem-sucedido. Dessa forma, ele opera para eliminar possíveis pontos de entrada para esses ataques, por meio da identificação e correção de falhas de segurança em sistemas e redes. 

Como mencionamos, isso pode envolver várias medidas, como atualização de software, configuração de firewalls, aplicação de políticas de acesso restrito, criptografia de dados sensíveis e implementação de autenticação multifatorial. 

Assim, é possível tornar o ambiente digital da empresa menos suscetível a ataques, dificultando a entrada de invasores e garantindo a proteção dos dados confidenciais.

Quais são os benefícios do Hardening para a empresa?

A incorporação de práticas de hardening nos sistemas de uma empresa oferece uma série de vantagens estratégicas, que vão muito além da simples defesa contra ameaças cibernéticas. As principais delas são:

  • Segurança cibernética: o endurecimento aumenta a segurança cibernética da organização, reduzindo significativamente o risco de violações de dados e comprometimento da infraestrutura digital.
  • Conformidade legal: ajuda a garantir a conformidade com regulamentações de segurança e privacidade de dados, evitando multas e penalidades para a empresa.
  • Melhoria da reputação da empresa: revela o compromisso com a proteção dos dados dos clientes, construindo uma reputação de confiabilidade e integridade no mercado.
  • Economia de custos: reduz o risco de incidentes de segurança, evitando perdas financeiras significativas e resultando em economia de custos a longo prazo.
  • Eficiência operacional: minimiza o tempo de inatividade causado por ataques cibernéticos e falhas de segurança, melhorando a eficiência operacional da organização.

Assim, adotá-lo permite que você aprimore o desempenho da sua empresa, além de posicioná-la como uma referência em segurança e confiabilidade no tratamento das informações que lhe são confiadas.

Pilares importantes para a aplicação do Hardening

A aplicação eficaz do Hardening baseia-se em pilares fundamentais que fortalecem a segurança cibernética de uma organização. Eles estabelecem diretrizes sólidas para proteger os ativos digitais e minimizar os riscos de ataques cibernéticos. Vamos explorar alguns dos principais deles:

Princípio de Mínimo Privilégio

Essa abordagem tem como objetivo limitar o acesso dos usuários e sistemas apenas ao necessário para realizar suas funções específicas.

Isso significa que cada usuário ou sistema só deve ter acesso aos recursos e informações que são essenciais para realizar suas tarefas, reduzindo assim a superfície de ataque e minimizando o impacto de uma possível violação de segurança.

Segmentação

A segmentação consiste na divisão da rede em segmentos menores e isolados, conhecidos como zonas de segurança. Cada zona é protegida por firewalls e outras medidas protetivas, limitando a propagação de ameaças cibernéticas dentro da rede. Isso ajuda a conter ataques e a proteger os dados críticos da empresa contra acessos não autorizados.

Redução

A redução refere-se à eliminação de componentes desnecessários ou não utilizados nos sistemas e redes da organização. Isso inclui desativar serviços não essenciais, remover software não utilizado e fechar portas de rede não utilizadas. 

Ao reduzir a superfície de ataque, a empresa diminui as chances de ser alvo de ataques cibernéticos e aumenta sua resistência contra ameaças digitais.

Etapas de implementação do Hardening

Assim como a aplicação, a implementação dessas estratégias também requer etapas que devem ser bem executadas. A seguir, vamos examinar cada uma delas:

Análise do ecossistema

A primeira etapa consiste em realizar uma análise do ecossistema da empresa. Isso envolve uma avaliação abrangente dos sistemas, redes e aplicativos da organização para identificar vulnerabilidades e pontos fracos. 

De acordo com essa investigação, a organização pode desenvolver uma estratégia de hardening personalizada que aborde as áreas de maior risco e priorize as medidas de segurança necessárias.

Automatização de atualizações

A automação de atualizações é fundamental para assegurar a segurança dos sistemas e aplicativos empresariais contra ameaças cibernéticas. 

Ela abarca a instauração automática e periódica de patches de segurança e atualizações de software, assegurando a pronta correção de todas as vulnerabilidades conhecidas. 

Essa ação diminui o tempo de inatividade e mitiga o risco de falhas de segurança resultantes de sistemas desatualizados.

Políticas de segurança

Em seguida, é preciso definir diretrizes claras e práticas para o uso seguro de sistemas e recursos digitais, bem como a aplicação de medidas de controle de acesso, como autenticação de dois fatores e criptografia.

As políticas de segurança também devem abordar questões como o uso de dispositivos móveis e remotos, o compartilhamento de informações confidenciais e a resposta a incidentes de segurança. Tudo isso é essencial para assegurar a integridade dos dados da organização.

Avaliação dos processos de transferência de dados

Essa avaliação possibilita a segurança das informações durante o trânsito pela rede. Por isso, envolve a revisão e o aprimoramento de protocolos de criptografia e a implementação de medidas de segurança adicionais, como túneis VPN (Virtual Private Network), para proteger os dados durante a transmissão. 

Treinamento dos colaboradores

Um passo essencial mas muitas vezes subestimado para a segurança de dados é a capacitação dos colaboradores da empresa. Eles devem ter conhecimento sobre as melhores práticas de segurança, como a criação de senhas seguras, a identificação de phishing e a proteção de informações confidenciais. 

Além disso, os funcionários devem ser incentivados a relatar quaisquer incidentes de segurança ou atividades suspeitas imediatamente, para que possam ser resolvidos o mais rápido possível. 

Como aumentar a segurança dos servidores da sua empresa?

Se você chegou até aqui, percebeu que implementar estratégias de hardening é essencial para aumentar a segurança dos servidores da sua organização. Isso envolve fortalecer os sistemas e redes, reduzindo vulnerabilidades e restringindo o acesso não autorizado. Além disso, optar por um ERP em nuvem pode ser uma decisão inteligente.

Os ERPs em nuvem oferecem vantagens significativas em termos de segurança, como atualizações automáticas e proteção contra ameaças cibernéticas. 

Eles são frequentemente mantidos por equipes especializadas em segurança, garantindo que as medidas de proteção mais atualizadas sejam implementadas. Além disso, os dados da empresa são armazenados em servidores seguros e altamente protegidos, reduzindo o risco de perda de dados ou violações de segurança.

Assim, ao combinar a implementação de técnicas de hardening com a escolha de um ERP em nuvem confiável, sua empresa pode garantir um ambiente de servidor mais seguro, protegendo os dados críticos e mantendo a integridade das operações comerciais.

O ERPFlex

O ERPFlex é uma solução completa desenvolvida para atender às necessidades de diversos setores, incluindo indústria, serviços, comércio de distribuição e varejo. 

Ele proporciona uma integração eficiente de funcionalidades essenciais para o crescimento do seu negócio, além de oferecer recursos avançados de proteção e controle de acesso.

Com sua infraestrutura robusta e protocolos de segurança atualizados, o ERPFlex garante a confidencialidade, integridade e disponibilidade das informações, permitindo que as empresas operem com tranquilidade e confiança em um ambiente digital cada vez mais desafiador. Converse conosco e alavanque a gestão e a segurança do seu negócio hoje mesmo!

E para mais conteúdos como o Hardening, não deixe de conferir o blog da ERPFlex