4 passos para modernizar a gestão de empresas familiares

As empresas familiares são predominantes nas economias mundiais. Segundo dados do IBGE, no Brasil, 90% das empresas correspondem a este perfil, o que significa que são 6 milhões de organizações, de todos os portes, geridas por membros da mesma família. Destas empresas, apenas 30% sobrevivem após a primeira transição entre gerações; e apenas 5% resistem à segunda transição. Por que isso ocorre? Estudos mostram que, com o crescimento do negócio, as relações profissionais e familiares se confundem, gerando conflitos que acabam culminando na falência da empresa.

 

Apesar de toda relevância e representatividade, esse segmento empresarial ainda sofre grandes vulnerabilidades e dificuldades, em razão de sua falta de foco e fragilidade na competitividade de mercado, devido aos problemas operacionais e estratégicos relacionados à sua gestão. Daí a necessidade de modernizá-las, a fim de garantir meios para que elas possam sobreviver a quantas transições forem necessárias.

 

Neste post, indicaremos os 4 passos fundamentais para operar essa modernização em sua empresa familiar, garantindo seu sucesso e longevidade.

 


futuro_empresas_familiares

 

1. Planejar o futuro

 

O alto índice de mortalidade das empresas familiares está atrelado ao fato de que os fundadores estão tão envolvidos no dia a dia da administração do negócio, que simplesmente não têm tempo para planejar o futuro. Há também uma enorme resistência por parte destes empresários em transferir o controle ou a gestão aos herdeiros, mesmo que eles sejam capacitados para isso. Escolher um novo sucessor envolve aspectos emotivos ao contexto empresarial, afinal, designar apenas uma pessoa para a gestão do negócio, implica em preterir todos os outros membros da família.

 

Por todos esses motivos, é de extrema importância elaborar e executar adequadamente um bom plano de sucessão. A escolha do futuro líder impacta profundamente a empresa, pois é ela que determina se o negócio terá ou não sucesso no futuro.

 

Também é preciso definir o futuro papel do fundador, após a sucessão. Os fundadores mais esclarecidos acabam buscando funções em que suas habilidades são úteis para a empresa. Dessa forma, não há disputa de poder com o futuro líder. Isso é importante para que a transição não seja muito brusca, e o fundador possa participar dos negócios até certificar-se de que o futuro da empresa estará garantido, nas mãos certas.

 

governanca_empresas_familiares

 

2. Adotar a governança corporativa em empresas familiares

 

É cada vez mais comum o uso de consultores externos, especializados em governança corporativa de empresas familiares. Recorrer a alguém que não esteja envolvido com a gestão e com o problema familiar traz muitas vantagens; dentre elas, a neutralidade das decisões, sem envolver questões emocionais. Uma governança corporativa eficaz consiste em integrar a administração dos sócios com a dos executivos, com o objetivo principal de garantir a perpetuação da empresa, de forma ética e lucrativa.

 

Os princípios básicos da governança corporativa envolvem a transparência, a eficiência e a responsabilidade. Sua prática, nascida por volta de 1990, tem por objetivo integrar os interesses dos acionistas/sócios aos do executivo.

 

Muitos empresários acham que governança corporativa é algo aplicável apenas a empresas de grande porte ou de capital aberto. Entretanto, ela traz benefícios também para o desenvolvimento das pequenas e médias empresas, facilitando a qualidade do fluxo de informação e do planejamento. Dessa forma, evita-se os eventuais conflitos familiares dentro da organização.

 

capacitacao_empresas_familiares

 

3. Garantir a capacitação profissional

 

A ausência da prévia preparação para a entrada de herdeiros sucessores na organização é o principal ponto crítico das empresas familiares, e isso contribui diretamente para o seu declínio após a transição.

 

O ciclo de vida da empresa familiar está diretamente vinculado ao processo sucessório. Quando se efetua a sucessão através de um bom planejamento, é possível gerar ótimos resultados para a estrutura empresarial. Portanto, é fundamental que haja profissionalismo na sucessão.

 

O sucessor deve possuir as características empreendedoras necessárias e o conhecimento absoluto da empresa que passará a gerir. Ele será o responsável por decisões imediatas que fatalmente influenciarão nos resultados da empresa, e por essa razão, o investimento em sua capacitação é de suma importância, para garantir a ele o treinamento suficiente para enfrentar os desafios do futuro.

 

ferramentas_empresas_familiares

 

4. Implementar ferramentas de gestão

 

A condição básica para a sobrevivência de empresas familiares está intimamente ligada à modernização, e isso inclui investimento em tecnologia. Além da implantação de novos conceitos de gestão estratégica, faz parte da modernização de uma empresa a informatização e sistematização de atividades dentro dos conceitos de organização. Uma das ferramentas fundamentais é o ERP (Enterprise Resource Planning). Este sistema de gestão empresarial ajuda a empresa a obter ganhos substanciais em seu desempenho, melhorando os processos internos e garantindo um melhor gerenciamento de resultados e informações estratégicas.

 

Entretanto, ainda podemos observar uma certa relutância dos empresários neste tipo de investimento: essa decisão tende a ser adiada ao máximo em empresas familiares. Uma das possibilidades para este adiamento é que muitos gestores não têm amplo conhecimento em TI (tecnologia da informação) e demonstram receio com a hipótese de ficarem dependentes de terceiros para a resolução de problemas, ou até mesmo para ter acesso as informações importantes sobre a empresa. Dessa forma, o benefício de obter dados mais precisos e seguros são inferiores ao risco que os empreendedores imaginam correr, ao depender de outras pessoas ou empresas para o uso dessas tecnologias.

 

Este é um equívoco que tende a ser resolvido assim que o gestor busca mais informações e conhece de fato os benefícios do uso da tecnologia, especialmente quando surgem conflitos. Afinal, através de ferramentas tecnológicas, é possível formalizar processos que facilitam a recuperação de informações sobre eventos organizacionais, bem como ter acesso em tempo real a estas informações.

 

Neste sentido, é importante modernizar a empresa, informando-se sobre a utilização de instrumentos que auxiliam a gestão familiar, visando torná-la mais competitiva, flexível a mudanças e ágil para lidar com um mercado em constante transformação.

 

Se você deseja obter mais informações sobre a modernização de sua empresa familiar e outros assuntos relacionados a gestão empresarial, entre em contato conosco! Teremos satisfação em ajudá-lo.

 

CTA-modernizacao