Qual o impacto do Impeachment na sua empresa?

Na última semana, o Senado aprovou o afastamento da presidente Dilma Rousseff e a instauração do processo de impeachment contra ela, por crime de responsabilidade. Dilma ficará afastada por 180 dias (período necessário para o julgamento). O vice Michel Temer assumiu a presidência de forma interina. Para que Dilma seja afastada definitivamente, serão necessários 54 votos ao final do processo de investigação e julgamento.

 

A instabilidade política causada por todo esse processo afeta negativamente grandes, médias e pequenas empresas. Embora haja uma perspectiva de que Temer recupere o nível de governabilidade, as turbulências políticas devem continuar afetando a economia do país.

 

Nesse cenário, as pequenas empresas deverão ser as mais atingidas pela troca no poder e os efeitos da crise política, já que a queda do consumo implica no comprometimento do capital de giro dessas empresas, e encarece a captação de dinheiro no mercado. Sendo assim, o pequeno empresário se vê obrigado a se descapitalizar para honrar seus compromissos e interromper os investimentos que faria se não houvesse a crise. Para a economia, as duas opções são ruins, pois geram estagnação.

 

Para recuperar a confiança da população, o governo precisa resgatar o processo de crescimento da economia, e para isso, terá que mexer nas relações no mercado. Em um processo assim, o comércio é o setor que sente os primeiros efeitos: quando a economia dá sinais de melhoria, o consumidor se sente mais confiante e deve voltar a comprar. Nesse processo, o empresário se sente estimulado e começa a produzir mais.

 

Entretanto, é improvável que mudanças ocorram a curto prazo. No documento “Uma ponte para o futuro”, que é como um programa de governo de Temer, são mencionados cortes nos gastos públicos, fortalecimento dos sindicatos em relação às leis trabalhistas, reformas constitucionais, simplificação na área tributária e unificação do ICMS (com a transferência de cobrança para o Estado de destino).

 

Todo o orçamento deverá ser revisto e os recursos deverão ser direcionados adequadamente – demonstrações que o governo de Temer já deu ao diminuir ministérios e cargos comissionados.

 

 

Como empreender nesse cenário político?

 

Os empreendedores devem se proteger nesse ambiente de incertezas, tendo um orçamento enxuto, gastando somente o necessário e mantendo o nível de reservas. Para pequenas empresas, a dica é conhecer o mercado em que atua, entendendo suas nuances e posicionando adequadamente seu produto ou serviço, para manter o custo fixo o mais baixo possível. Dessa forma, a vulnerabilidade às oscilações da economia será menor.

 

 

Novos Decretos

 

Um dia antes de ser afastada do cargo pelo Senado Federal, Dilma assinou 14 decretos. Dois dos mais importantes, tratam do Marco Civil da Internet e do Sistema Tributário Nacional.

 

O primeiro documento fala sobre neutralidade de rede e tratamento dos dados pessoais dos usuários e fortalece a posição do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), estabelecendo que a organização multissetorial será responsável pelas diretrizes da internet no país.

 

O segundo, é uma proposta de mudança na lei que trata do Sistema Tributário Nacional. O texto pede alteração na Lei nº 5.172, de 25 de outubro de 1966, “que dispõe sobre o Sistema Tributário Nacional e institui normas gerais de direito tributário aplicáveis à União, aos Estados e aos municípios”.

 

 

Conclusão

 

O momento de incerteza exige atenção, mas também pode trazer oportunidades. Planejamento, organização e uma boa gestão financeira são ações que ajudam o empreendedor a identificar estas oportunidades, ao passo que o protege de riscos maiores.

 

gestão financeira fluxo de caixa